Tipos de problemas que podem ser provocados pelo salto alto errado

0
1115
Proibido
Não recomendo para quem tem espondilite
É incrível a sensação de beleza e poder que um salto alto proporciona às mulheres. Mas o que não é nada incrível é a dor que esse sapato pode causar após um dia ou uma noite inteira de uso, e quando se tem uma doença crônica como a espondilite anquilosante que afeta muito nossos pés devemos ter muito cuidado com os calçados.
 Além do incômodo, o excesso dos saltos altos pode provocar problemas à coluna, aos joelhos e, principalmente, aos pés. Por esse motivo, é preciso ter cuidado ao usá-los, já que, com dores e problemas de saúde, não será possível usar novamente essa peça tão glamourosa e importante para o look. A variedade de modelos torna a escolha do melhor sapato mais difícil. Mas, além de pensar na beleza, é preciso estar atenta à saúde.
Distribuição do peso
Distribuição do peso
 O ideal para o dia a dia é um salto de 3 a 4 centímetros de altura, com taco (parte física do salto, que determina seu modelo) mais largo. Entretanto, só quem é mulher sabe que na prática isso não é possível.
Carácter dos saltos
O queridinho das mulheres é também o que oferece mais riscos à saúde, segundo a terapeuta ocupacional, Júlia Fonseca: “ao usar salto agulha, a mulher concentra todo o peso de seu corpo na parte frontal dos pés, assim, tem que andar com os joelhos flexionados para se equilibrar, o que causa dores e desconforto.”
Não é preciso deixar de usar o modelo agulha. Uma alternativa é dispor de opções diferentes para todos os dias da semana, inclusive ter um sapato com salto baixo, que é o mais recomendado. O resultado estético pode não ser 100% satisfatório para todas as mulheres, mas a melhora na qualidade de vida, com certeza, será.
Doutora Júlia sugere que “quem aposta no modelo Anabela (que é como uma plataforma) acerta em cheio.” Como a plataforma percorre toda a extensão da sola, consegue fazer melhor a distribuição do peso. Outras boas alternativas são os saltos grossos porque também oferecem sustentação ao corpo, sem forçar demais a panturrilha, por exemplo.
Proibido
Não recomendo para quem tem espondilite
O abuso dos saltos pode causar, no mínimo, 5 tipos de lesões diferente aos pés. Não acredita? Confira:
Joanete: Além de fatores genéticos, o uso excessivo de sapatos apertados na parte frontal, como os de bico fino, por exemplo, pode causar uma deformidade logo abaixo ao primeiro dedo do pé, que é chamada de joanete. Esse problema resulta em dores, inflamações e infecções;
Dedos “Martelo”: O uso de sapatos pequenos, apertados e com saltos elevados pode desenvolver o chamado dedo martelo, que acontece quando o dedo assume forma de garra. Esse problema é causado pelo desenvolvimento de calos na parte superior dos dedos e uma formação calosa na sola dos pés. Imagine caminhar desse jeito? Quem já tem joanete corre risco ainda maior de desenvolver o dedo martelo;
Neuroma de Morton: A falta de circulação sanguínea causada por sapatos apertados, estreitos ou altos comprime os nervos plantares e causam inflamação. Essa é uma lesão que afeta todo o pé, mas, principalmente, os terceiros e quartos dedos. O neuroma de morton provoca dor e dormência que podem ser aliviadas ao retirar o sapato;
Inflamação no tendão de Aquiles: O hábito de usar continuamente saltos altos pode provocar alteração na tensão do tendão de Aquiles, o que causa dor e, consequentemente, tendinite. Algumas pessoas podem, até mesmo, romper o tendão, que é responsável por conectar a perna à panturrilha;
Instabilidade no tornozelo: A recomendação é que o salto tenha entre 3 e 4 centímetros porque, quem anda acima dessa altura, corre o frequente risco de ter torções e microtraumas, que causam dor recorrente do lado exterior (lateral) do tornozelo.
Quando estiver de salto, retire-o por alguns momentos e alongue os músculos da coxa e da panturrilha com os movimentos que a perna faria naturalmente se não estivesse apoiada sob os sapatos altos.
Fonte: Dicas de Mulher

Sejam bem vindos!