Sindesmófitos na Espondilite

alt=

Sindesmófitos na EspondiliteUm dos achados clínicos mais comum na coluna vertebral do paciente com espondilite anquilosante são os osteófitos e sindesmófitos, mas o que são? 

Sindesmófitos na Espondilite – Sobre Espondilite Anquilosante… 

espondilite anquilosante é um tipo de inflamação que afeta os tecidos conjuntivos, caracterizando-se pela inflamação das articulações da coluna e das grandes articulações, como quadris, ombros e outras regiões.

Embora não exista cura para a doença, o tratamento precoce e adequado consegue tratar os sintomas – inflamação e dor, – estacionar a progressão da doença, manter a mobilidade das articulações acometidas e manter uma postura ereta.

A causa da doença ainda é desconhecida, segundo a cartilha do Portador de Espondilite Anquilosante da Sociedade Brasileira de  Reumtologia,  o marcador genético HLA-B27, esse é um fator  quase sempre decisivo  para o diagnostico, uma vez que a doença é cerca de 300 vezes mais frequente em pessoas que herdam um determinado marcador genético, quando comparadas com aquelas que não possuem esse marcador.

Sindesmófitos na Espondilite

Os sindesmófitos na coluna vertebral representam um dos achados mais característicos dessa doença. O sindesmófito refere-se a uma ossificação paravertebral que assemelha a um osteófito, exceto pela orientação vertical, enquanto o osteófito tem sua orientação no eixo horizontal. Algumas vezes, pode  ser difícil decidir se determinada  ossificação paravertebral é um osteófito ou sindesmófito com base apenas na sua orientação. Os osteófitos em ponte e os grandes sindesmófitos podem exibir aspecto semelhante, com orientação intermediária entre a vertical e a horizontal. Para avaliar esses casos, é preciso examinar os outros corpos vertebrais e utilizar as ossificações neles para determinar se são osteófitos ou sindesmófitos. Se não houver comprometimento de outro nível, os dois podem não ser distinguíveis.

Os sindesmófitos  são classificados em marginais e simétricos ou não-simétricos. O sindesmófito tem a sua origem na borda ou margem de um corpo vertebral e estende-se até a margem do corpo vertebral adjacente. Esses sindesmófitos são sempre bilateralmente simétricos, conforme evidenciado em uma incidência AP. Classicamente, a Espondilite Anquilosante apresenta sindesmófitos simétricos marginais.

alt="Remissão da Espondilite após uso de células tronco"Sindesmófitos Simétricos Marginais na Espondilite Anquilosante. São observados sindesmófitos marginais bilaterais transpondo os espaços discais em toda a coluna lombar desse paciente. Trata-se da denominada “Coluna em Bambu” que é típica da Espondilite Anquilosante.

O comprometimento das articulações sacroilíacas (SI) é comum nas espondiloartropatias  HLA-B27. Os padrões de acometimento, à semelhança dos padrões de acometimento da coluna vertebral, são um tanto peculiares em cada distúrbio. Tipicamente, a Espondilite Anquilosante causa doença simétrica e bilateral das articulações SI que no início é de natureza erosiva e em seguida, progride para esclerose e fusão. É extremamente incomum observar uma doença assimétrica ou unilateral das articulações SI nesse distúrbio.

Quando o comprometimento é bilateral, porém não claramente assimétrico, as articulações SI devem ser incluídas na categoria simétrica bilateral. Isso significa que, se houver doença articular SI simétrica bilateral, ela pode ser causada por qualquer uma das 4 espondiloartropatias  HLA-B27.Se houver comprometimento articular SI unilateral (ou claramente assimétrico), a Espondilite Anquilosante pode ser excluída do diagnóstico.

alt="O que são osteófitos"Espondilite Anquilosante. Observa-se esclerose articular sacroilíaca simétrica bilateral e erosões nesse paciente com Espondilite Anquilosante.

Fusão das Articulações Sacroilíacas (SI) na Espondilite Anquilosante. A fusão completa bilateral das articulações SI nesse paciente com Espondilite Anquilosante torna essas articulações totalmente indistinguíveis.

Os quadris também são acometidos em até 50% dos pacientes com Espondilite Anquilosante, porém o comprometimento das pequenas articulações, especificamente das mãos e dos pés, não é comum na mesma.

 

Espondilite Anquilosante com Doença do Quadril. A incidência AP da pelve desse paciente com Espondilite Anquilosante revela fusão completa bilateral das articulações sacroilíacas. Existe estreitamento concêntrico da articulação esquerda do quadril com migração axial da cabeça do fêmur e notável estreitamento também do lado direito. Trata-se de um achado típico na artrite reumatóide ou, como nesse exemplo, na Espondilite Anquilosante.

Fonte: Radiologia na Palma da Mão 

Comentários

Comentários

Sejam bem vindos!