Primeiro Encontro de EspondiloArtrites em BH

alt=
Primeiro Encontro de EspondiloArtrites em BH

Primeiro Encontro de EspondiloArtrites em BHComo parte da programação do mês de maio, mês de conscientização e sensibilização da sociedade sobre as espondilartrites, nosso amigo Hélio Filho do blog Eu Enfrento a Espondilite, está organizando o primeiro encontro de espondilartrites em Belo Horizonte no dia 19 de maio, no Centro de Referência da Juventude – CRJ.

  • Saiba mais sobre o evento aqui

Primeiro Encontro de EspondiloArtrites em BH: Sobre as Espondilartrites

Espondilartrites/espondiloartropatias (artrite soronegativa) – Espondiloartropatias são também chamadas de artrites soronegativas, artropatias soronegativas, espondiloartrites soronegativas e reumatismo soronegativo.

Quais são os diferentes tipos de espondiloartrites?

Está claro que dentro das Espondiloartrites também existem doenças diferentes. Em comum elas têm a propensão para o desenvolvimento dos quadros descritos acima, e um determinado “marcador genético” (ver abaixo). Fora isso elas têm características completamente únicas, que definem cada doença.

Primeiro Encontro de EspondiloArtrites em BH

alt="Primeiro Encontro de EspondiloArtrites em BH"
Primeiro Encontro de EspondiloArtrites em BH

São elas:

1- Espondilite anquilosante. É a espondiloartropatia típica. Ela acomete cerca de 2 a 3 vezes mais homens que mulheres, e é a espondiloartropatia que mais ataca a coluna e as demais articulações axiais. Os principais critérios de classificação exigem acometimento de sacroilíacas ou coluna para que este diagnóstico seja firmado. Em apenas cerca de 25% das vezes articulações periféricas vão ser atingidas.

2- Artrite psoriásica (ou psoriática): Psoríases é uma inflamação na pele que causa vermelhidão e descamação. Ela geralmente acomete as partes que são mais esticadas da pele que cobrem as articulações, mas qualquer parte do corpo pode ser envolvida. As unhas também podem, e nestes casos elas ficam deformadas como as unhas de alguém que tem micose. Cerca de 40% das pessoas que têm psoríases vão desenvolver artrite em algum ponto da vida. Esta artrite pode apresentar as características comuns às espondiloartropatias, por isso a artrite psoriática foi incluída neste grupo. Além da presença da psoríases, outras particularidades diferenciam a artrite psoriásica das outras espondiloartropatias. Entre elas podemos citar uma predileção para as últimas articulações dos dedos (aquelas mais próximas das unhas), o acometimento das sacroilíacas geralmente de um lado só, maior propensão para dactilites e entesites. Classicamente, cinco tipos diferentes de acometimento articular da artrite psoriásica foram descritos, o acometimento poliarticular (muitas articulações) simétrico (igual nos dois lados) – indistinguível da artrite reumatóide, o acometimento predominante das últimas articulações dos dedos (próximas à unhas), o acometimento oligoarticular (poucas articulações), o acometimento axial (semelhante ao da Espondilite anquilosante), e “artrite mutilante” (uma forma particularmente destrutiva). Hoje sabemos que é infrequente que um paciente siga exclusivamente um destes padrões, portanto esta subclassificação tem sido questionada. Em cerca de 15% dos casos a artrite precede a psoríases. Nestes casos o diagnóstico pode demorar para ser O que causa as artrites soronegativas (espondiloartropatias)

3- Artrite associada a doença inflamatória intestinal: Duas doenças diferentes são compreendidas dentro do que se chama “doença inflamatória intestinal”, a Doença de Crohn e a Retocolite Ulcerativa. Ambas são doenças autoimune que atacam os intestinos e, portanto, geralmente levam a sintomas intestinais, como diarreias recorrentes, às vezes intercaladas com prisão de ventre, barriga distendida, e sangue ou muco nas fezes. Cerca de 4 a 32% dos pacientes com doença inflamatória intestinal vão apresentar em algum momento sacroileíte em um ou ambos os lados, e de 4 a 10% deles vão apresentar inflamação na coluna idêntica à da espondilite anquilosante. A inflamação na coluna pode começar vários anos antes da inflamação no intestino, e mesmo que uma delas melhore a outra pode continuar ativa. Artrite periférica também pode acontecer em de 10 a 20% dos pacientes de doença inflamatória intestinal, e pode pegar muitas articulações (poliarticular) ou poucas (oligoarticular). Ambos os tipos raramente levam a deformidades e em 80 a 90% das vezes a oliogarticular passar sozinha em até 10 semanas. A forma poliarticular frequentemente envolve as pequenas articulações das mãos, e também pode começar antes da inflamação no intestino. Todas estas manifestações articulares são mais frequentes em pacientes com doença de Crohn do que naqueles com retocolite ulcerativa, e estão associados a maior chance de ter outras manifestações fora do intestino, como uveítes.

4- Artrite Reativa (Síndrome de Reiter): Na artrite reativa a inflamação nas articulações é causada por uma bactéria. No entanto, esta bactéria não infectou a articulação em si, mas outro lugar do corpo. O “estrago” nas articulações, neste caso, não é feito diretamente pela bactéria, mas pelo sistema imune tentando “reagir” à bactéria (daí o nome “artrite reativa”). Leva um certo tempo até que o corpo produza os anticorpos que combatem a bactéria e causam a artrite, portanto a inflamação nas articulações começa apenas de uma a quatro semana após a infecção, que pode ser no intestino (causando diarreia) ou no aparelho genital e urinário (causando principalmente uretrite). Homens e mulheres são afetados com a mesma frequência, e mesmo crianças podem ter a doença. O quadro clínico típico é de inflamação em poucas articulações, principalmente nas grandes articulações das pernas e pés, mas articulações dos ombros, braços e mãos também podem acontecer. Outros sintomas também podem acontecer, alguns típicos das espondiloartropatias, como entesites, dactilite, dor lombar inflamatória, uveítes (ver o significado destes sintomas acima) e paniculites (inflamação dolorosa do tecido  subcutâneo), e outros mais exclusivos das artrites reativas, como conjuntivite, “queratoderma blenorrágico” e “balanite circinada”. Queratoderma blenorrágico são lesões pustulares observadas nas plantas dos pés, e balanite circinada é uma inflamação na glande (cabeça) do pênis e mucosa em volta dela.

O Primeiro Encontro de EspondiloArtrites em BH também é o primeiro de Minas Gerais, aguardem estamos ansiosos para estar presente.

Comentários

Comentários

Sejam bem vindos!