Passe Livre interestadual – Ministério dos Transportes

3
1090

Manual do Usuário 

O Passe Livre é um benefício que demonstra um avanço da sociedade e conquista do portador de deficiência, pois trouxe mais respeito e dignidade para o portador de deficiência dentro do contexto social.
O bom funcionamento do benefício do Passe Livre depende da fiscalização de todos. Cabe o benefício aos portadores de deficiência carente, tendo pois o direito de viajar por todo o país.
Quem tem direito ao Passe Livre?
Portadores de deficiência física, mental, auditiva ou visual comprovadamente carentes.
Quem é considerado carente?
Aquele com renda familiar mensal per capta de até um salário mínimo. Para calcular a renda, faça o seguinte:
Veja quantos familiares residentes em sua casa recebem salário. Se a família tiver outros rendimentos que não o salário (lucro de atividade agrícola, pensão, aposentadoria, etc.), esses devem ser computados na renda familiar.
Some todos os valores
Divida o resultado pelo número total de familiares, incluindo até mesmo os que não têm renda, desde que morem em sua casa.
Se o resultado for igual ou abaixo de um salário mínimo, o portador de deficiência será considerado carente.
Quais os documentos necessários para solicitar o Passe Livre?
Cópia de um documento de identificação. Pode ser um dos seguintes:
Certidão de nascimento;
Certidão de casamento;
Certidão de reservista;
Carteira de identidade;
Carteira de trabalho e previdência social;
Título de eleitor.
Atenção: Quem fizer declaração falsa de carência sofrerá as penalidades previstas em lei.
Como solicitar o Passe Livre?
Fazendo o donwload dos formulários acima, preenchendo-os e anexando um dos documentos relacionados. Uma vez preenchidos, os formulários devem ser enviados ao Ministério dos Transportes no seguinte endereço: Ministério dos Transportes, Caixa Postal 9800 – CEP 70001-970 – Brasília (DF). Neste caso, as despesas de correio serão por conta do beneficiário; ou
Escrevendo para o endereço, acima citado, informando o seu endereço completo para que o Ministério dos Transportes possa lhe remeter o kit do Passe Livre. A remessa ao Ministério dos Transportes, dos formulários preenchidos, junto com a cópia do documento de identificação e o original do Atestado (laudo) da Equipe Multiprofissional do Sistema Único de Saúde (SUS), é gratuita e deve ser feita no envelope branco, com o porte pago.
Atenção: Não aceite intermediários. Você não paga nada para solicitar o Passe Livre.
Quais os tipos de transporte que aceitam o Passe Livre?
Transporte coletivo interestadual convencional por ônibus, trem ou barco, incluindo o transporte interestadual semi-urbano. O Passe Livre do Governo Federal não vale para o transporte urbano ou intermunicipal dentro do mesmo estado, nem para viagens em ônibus executivo e leito.
Como conseguir autorização de viagem nas empresas?
Basta apresentar a carteira do Passe Livre do Governo Federal junto com a carteira de identidade nos pontos-de-venda de passagens, até três horas antes do início da viagem. As empresas são obrigadas a reservar, a cada viagem, dois assentos para atender às pessoas portadoras do Passe Livre do Governo Federal.
Atenção:
Se as vagas já estiverem preenchidas, a empresa tem obrigação de reservar a sua passagem em outra data ou horário. Caso você não seja atendido, faça a sua reclamação pelo telefone 0800-61-0300. A ligação é grátis.
O Passe Livre dá direito a acompanhante?
Não. O acompanhante não tem direito a viajar de graça.
Informações:
Posto de atendimento – SAN Quadra 3 Bloco N/O térreo – Brasília/DF
telefones: (61)315.8257, 315.8261 e 315.8253.
Caixa Postal – 9.800 – CEP 70.001-970 – Brasília/DF
e-mail: passelivre@transportes.gov.br
Reclamações:
Ligue grátis: 0800-61-0300
e-mail: passelivre@transportes.gov.br
Departamento de Transportes Rodoviários
Caixa Postal – 9.800 – CEP 70.001-970 – Brasília/DF

Site: Ministério dos Transportes 

3 Comentários

  1. Minha querida, onde vc mora? Aqui em São Paulo vc pode ter o bilhete único, municipal intermunicipal e ainda metrô e trem, vc deve procurar a assistente social que te indicará o melhor jeito de conseguir o beneficio.

  2. eu preciso ter o passe para mim foi muito constrangedor aofaser a apericia medica,me olhou de cimaembaixo e disse quem te disse que t espondiliti. jáfizaté cirurgia no quadriu,dizer ou nãono passe que somos incapases de ficar em pé n vai no sajudar em nada;o mundo esta muito frio indiferente aos problemas alheios tenho56 anos e desde os 23 estou sofrendo asveses humilhações e descaso da própria família,moro sósinha temdias que eu mau levanto e ficoa base de leite ou frutas se for nos diaque recebo.mas como sempre a crise sódá quando se esta dura poistudoque ganho a metade vai em remedios nãoestou mormurando louvadoseja há Deus que me aposentei nomeusegundofilho,pois fiquei sem andar e aos 32 anos operei o quadriu opior de tudo é que sou soropositivo e não poço tomar remedio e só os paleativos tipo agua com açucar

  3. Interessante… telefonei para o Disk 100 na semana passada e não foi essa a informação que recebi da atendente da opção três do referido número. Será que mudou algo na legislação?
    Eu busquei orientação no Disk 100 porque tenho espondilite e não consigo ficar em filas (em pé ou assentada, porque as dores melhoram com movimento e pioram com o repouso). Fui informada que pra não ficar em filas e ter atendimento prioritário eu teria duas opções: ou ir à polícia civil dar entrada na papelada pra que "DEFICIÊNCIA fÍSICA" seja escrito na minha carteira de identidade, ou, outra opção seria solicitar a carteira de passe livre, que é o único documento existente no Brasil para garantir que, neste caso, o portador de necessidades especiais tenha uma identificação. Acho isso uma vergonha nacional, é um absurdo não haver legislação para os deficientes físicos de doenças não aparentes, sem ausências de membros ou deformidade.
    Não faz sentido eu andar de carro adaptado e ter que mostrar uma carteirinha de passe livre de ônibus, desde que eu declare pobreza.
    Vou ligar lá e perguntar de novo então…

Sejam bem vindos!