Os piores dias da espondilite eu os escondo de você

Os piores dias da espondilite eu os escondo de você – Você não viu meus piores dias. Porque eu os escondo de você. Meu marido/esposa os vê, minha mãe os vê.

Os piores dias da espondilite eu os escondo de você

Quando você me vê, estou totalmente montada, maquiada. Minha maquiagem é feita com esse propósito, meu cabelo bem cuidado. Eu aprendi todos truques para parecer o mais apresentável possível, minhas fotos nas redes sociais, são totalmente diferente de minha realidade. Eu aprendi todos os pequenos truques para agir normalmente apesar de uma doença destrutiva. Eu vou sorrir, mesmo se estiver com dor. Vou me sentar quietamente enquanto meu corpo grita comigo. Eu faço isso para caber dentro, no meu íntimo. Eu faço isso para me sentir normal. Eu faço isso para que outros não percebam minha dor ou perguntem o que não sei responder. Eu faço isso para que talvez, de vez em quando, eu possa começar a parecer que eu seja simplesmente “normal”.

Você não viu meus piores dias. Porque eu os escondo de você. Meu marido/esposa os vê, minha mãe os vê. Mas a natureza da minha doença é que ela pede para ser escondida. A última coisa que seu corpo quer em um dia ruim é estar em algum lugar que não seja em minha cama. Sentir a necessidade de forçar um sorriso ou tentar parecer apresentável. Então eu me escondo. Escondido em meu pequeno e deprimente interior.

Há poucos lugares que eu irei em um mau dia, menos ainda em um dia terrível. Eles precisam ser lugares que eu sinto absolutamente seguro dentro, lugares onde eu não tenho que me explicar. Não faço isso porque tenho vergonha da minha realidade, faço isso porque preciso de proteção quando estou mais vulnerável. Mas no final, dói significativamente o equívoco das pessoas sobre a gravidade da minha condição.

Você nunca me viu desmaiar, mas isso não significa que não aconteça. Você nunca me viu sem fôlego ao tomar um banho, mas isso não significa que não aconteça. Você provavelmente nunca assistiu minhas mãos agitadas enquanto eu suspiro por ar, ou nunca me viu chorar de dor. Você não vê essas coisas porque eu me escondo nesses dias. Mas eu digo a você que esses dias existem.

Eu digo tudo isso porque é fácil julgar a condição de uma pessoa pelo que você vê quando você está com eles, mas você não pode acreditar nisso. Quando você me vê você pode se perguntar por que eu não posso simplesmente trabalhar regularmente. Você pode se perguntar por que escrevo sobre doença e dor crônica tão naturalmente, diariamente, como se gostasse disso. Você pode pensar que eu exagero que eu tenho uma auto-piedade exagerada. Mas quando você me vê, você não está vendo tudo de mim. O que você vê um dia não descreve com precisão todos os dias.

Tento ser normal porque não quero piedade, apenas COMPAIXÃO; Não quero que minha doença seja o centro das atenções. Escrevo porque quero que as pessoas compreendam algo que é tão naturalmente oculto. Eu quero que eles saibam o que acontece quando eles não me vêem para que eles possam entender como é a minha vida. Não só porque eu quero que eles me entendam, mas porque eu quero que eles entendam outros como eu. Escrevo porque quero que as pessoas pensem duas vezes antes de fazer suposições baseadas apenas no que vêem.

Fonte, baseado em: TheMigty

Comentários

Comentários

Sejam bem vindos!