Espondilite Anquilosante e Atividade Física

13
926
alt=
Atividade física no controle da dor

Espondilite Anquilosante e Atividade Física, até que o paciente obtenha uma série de exercícios elaborada para atender suas necessidades individuais, ele deve iniciar, imediatamente, exercícios diários. É possível que não consiga fazer alguns deles, mas deve praticar aqueles que puder.

1 – Fique em pé com os calcanhares e as nádegas contra uma parede, mantendo seu queixo em uma mesma posição (boca fechada). Posicione sua cabeça contra a parede e a mantenha-se nesta posição por 5 segundos e, então, relaxe. Repita 10 vezes.
2 – Sente-se em uma cadeira firme. Coloque sua mão direita transversalmente ao tórax e segure o lado da cadeira. Estique seu braço esquerdo para frente e gire para a esquerda, mantendo o braço em posição horizontal, cobrindo o maior ângulo possível, sempre olhando por cima do ombro esquerdo. Permaneça nesta posição por algum tempo e force mais uma vez o movimento. Mantenha-se na nova posição e retorne, olhando para frente. Repita três vezes com cada braço.
3a – Sente-se com os ombros relaxados e queixo posicionado (boca fechada), olhando para frente. Deite a cabeça de lado, de modo a encostar a orelha direita em seu ombro direito. Mantenha esta posição, com os músculos do ombro relaxados e dobre-se um pouco mais, voltando então à posição inicial (conforme você fizer o exercício, o perfil de seu nariz deve permanecer no mesmo ponto, garantindo que sua cabeça não faça algum outro tipo de movimento). Repita duas vezes para cada lado.
3b- Agora, incline sua cabeça para trás, olhando para o teto e a parede, e faça com que ela volte à posição inicial. Repita. Agora, faça seu queixo tocar seu pescoço e retornar à posição inicial, mantendo a boca fechada. Repita.
4 – Deitado de costas, joelhos dobrados, com os pés apoiados no chão. Inicialmente coloque suas mãos sobre suas costelas. Inspire fundo, pelo nariz, e expire, pela boca, empurrando suas costelas contra suas mãos quando você inspira. Repita 10 vezes (lembre-se que é importante expirar completamente, bem como inspirar profundamente). Posteriormente coloque suas mãos na parte antero-superior de seu tórax. Inspire profundamente, pelo nariz, e expire o mais rápido que puder, pela boca. Empurre as costelas contra as mãos conforme você inspira. Repita 10 vezes.
5 – Ainda deitado de costas, com os joelhos dobrados, levante seu quadril de forma a retirar as nádegas do chão, formando uma linha reta entre o ombro e os joelhos. Mantenha-se nesta posição por cerca de 5 segundos e, então, relaxe. Repita 5 vezes.
6 – Deitado de bruços, com a cabeça virada para um dos lados, braços esticados ao longo do corpo (se necessário, é permitido colocar um travesseiro sob o tórax – não sob a cintura – para conseguir maior conforto). Inicialmente levante uma perna acima do chão, mantendo o joelho esticado. Repita 5 vezes com cada perna, fazendo com que as coxas saiam do chão.
Posteriormente levante sua cabeça e ombros acima do solo o mais alto que puder. Repita 10 vezes.
7 – Com as mãos e joelhos no chão, estique um braço e a perna oposta, erguendo-os paralelamente ao solo, mantendo-os nesta posição por cerca de 10 segundos. Repita com o outro braço e perna. Repita 5 vezes para cada lado.

Consenso sobre atividades físicas e espondilite anquilosante 

Fonte:
Ankylosing spondylitis: a guidebook for patients. National ankylosing spondylitis society, Englang, UK.
Por que se deve fazer exercícios?
Pessoas que são fisicamente ativas, são mais saudáveis e vivem por mais tempo, quando comparadas àquelas inativas. Isto é verdade para todos, mas especialmente para aquelas com reumatismo. Os benefícios do exercício físico é bastante conhecido de todos, mas existem alguns que se mostraram extremamente importantes para os pacientes reumáticos. A artrite é uma das maiores causas de limitação da atividade física e, a inatividade pode piorar a doença, criando um círculo vicioso, que vai complicando cada vez mais o quadro, dificultando a melhora. Muitas das pessoas que têm artrite estão “fora de forma”, são mais “fracas”, com menos flexibilidade, sentindo mais dor que o necessário, devido principalmente às “complicações” da inatividade. Dor, rigidez, fadiga e o medo de piorar, podem fazer com que o paciente reaja contra o exercício. No entanto, para o reumático, um programa de exercício apropriado é extremamente importante e saudável.
Que tipos de exercício são úteis e seguros?
Trabalhos mostram que muitas pessoas com artrite podem participar seguramente de programas de exercício regulares, procurando alcançar uma melhor condição aeróbica, aumento da força muscular, da resistência e flexibilidade, facilitando tarefas do dia a dia, como caminhar, se abaixar, cuidar dos afazeres domésticos. Há três tipos principais de exercícios, cada com um papel na melhora da saúde, aptidão e, reduzindo a incapacidade e a dor relacionada à patologia.
Alongamentos: são exercícios suaves, que praticados diariamente, promovem uma melhora da qualidade muscular, aumento da flexibilidade e, se feito corretamente, reduzem as lesões provocadas pelo esforço do dia a dia. São a base de qualquer programa de reabilitação.
Condicionamento Muscular (força e resistência): estes são mais vigorosos que o anterior e, normalmente executado em dias alternados. Eles são indicados para um aumento da quantidade e qualidade do músculo, trabalhando com cargas e resistências crescentes. Exige controle estrito de um técnico especializado, como um professor de educação física, além do médico, é claro.
Condicionamento Aeróbico: estes incluem atividades que usam os músculos do corpo de modo rítmico e repetitivo, melhorando coração, pulmão e função muscular. Também é o tipo de exercício que tem benefícios para o controle do peso, humor e saúde geral. Exemplos deste tipo de exercícios são: caminhar, dançar, natação, hidroginástica ou ginástica aeróbica (sempre de baixo impacto), andar de bicicleta, etc.
Você sabia? Um método grosseiro de analisar se seu ritmo no exercício está correto é o de falar enquanto caminha, por exemplo. Isto não poderá provocar falta de ar. Não esqueça que é fundamental ir ao médico antes de iniciar qualquer tipo de exercício, somente ele poderá afirmar qual o melhor para o seu caso e, o ritmo indicado. As recomendações atuais para atividade uma atividade física indicam que 30 minutos de atividade aeróbia, moderada, 05 vezes na semana, são suficiente para manutenção de um estado saudável. Alguns trabalhos demonstram que para pacientes reumáticos este período pode ser divido em 03 de 10 minutos com o mesmo benefício.
Como escolher o melhor programa de exercício?
Um programa de exercício para uma pessoa com artrite inclui alongamento, fortalecimento muscular e atividades aeróbicas. O conteúdo e a progressão deste programa, depende de necessidades individuais e das incapacidades existentes. Os programas de exercícios de maior funcionamento serão aqueles onde a relação do reumatologista X paciente é mais intensa, pois a confiança é primordial para quebra das barreiras do medo da dor.
Crédito: Samuel Oliveira Educador Físico CREF: 077530-G/SP

13 Comentários

  1. Na fase ativa da doença não aconselho à prática de exercícios físicos, mais se vc for praticar aconselho a fazer isometria,(exercícios com carga mais sem movimento articular)

  2. Ola pessoal !!! A 8 anos sinto fortes dores e sempre pensei que fosse artrite só descobri que e E.A este mês quando minha medica me deu um laudo para que eu levasse ao inss.
    Já tomei diversos medicamentos inclusive o humira mas pedi a suspensão do medicamento para engravidar e infelizmente não consegui , e a um mês estou com fortes dores tomei diversos anti inflamatorios e não resolveu e para piorar surgiu uma inflamação nos nervos e musculos.
    Eu gostaria de saber qual o exercicio e mais indicado para amenizar as dores e fortalecer os musculos ? Não estou conseguindo caminhar e meus pés incham muito e meu quadril não se movimento de forma normal. Me ajudem pois não estou suportando as dores.

  3. Olá pessoal!! Sou nova por aqui..Tenho o diagnóstico a 3 anos e a 1 uso o enbrel. Até o momento tive uma melhora bem significativa, minha médica até suspendeu o medicamento para ver como vou reagir.. Ultimamente estou com forte dores na "planta dos pés", dificuldade para pisar firme. Será que é consequência da espondilite???

    Grata,
    Ana.

    • Com certeza é, principalmente se for no calcanhar, o meu médico disse que é um sintoma comum de quem tem EA. Também sinto muita dor no calcanhar. Não posso ficar mais de 10 minutos em pé que não aguento de dor.
      Diego

  4. Olá a todos. Tenho acompanhado o Blog assim como outros, inclusive nos Estados Unidos também. Vejo outras doenças consideradas terríveis tendo depoimentos negativos mas por muita vezes estórias de sucesso bem positivas. Na EA não vejo nada de bom !! Parece que ninguém consegue viver bem e a tendência é sempre piorar. Será essa a pior de todas ? Alguém já ouviu fazer de algum caso com boa evolução ? Da vontade de reagir, mas é difícil…

  5. OI amiga desculpe pela demora é que me mudei de residencia a 50 dias e estou com problemas com a compania telefonica estou sem tel e sem net, mais como deve ter visto eu tomei embrel por 2 anos e foi milagroso até o momento em que os efeitos desejaveis escacearam e as dores foram progressivas meu reumato mudou para Remicade (infliximabe) esse nunca foi 100% mais fiquei bem por um ano e no momento as dores retornaram com muita força assis sendo com experiencia propria digo para usar sem medo será sempre dessa forma os medicamentos já não serão suficientes para nossas dores e os médicos mudarão quando necessário mais a luta é diária e não desistiremos jamais, "Lutar sempre, vencer as veses, desistir jamais" Beijos Boa Sorte

    Samuel

  6. Boa tarde Samuel,como está você peço a Deus que estejas bem!!!Eu ando tendo crises parece que o Embrel não está fazendo mais efeito,gostaria de saber a opinião sua ou de alguém que faz uso desse medicamento,pois minha médica quer trocar para o Remicade e eu estou com um pouco de receio.
    Um abraço!!!

    • ola,eu tenho EA diagnosticado há pelo menos seis meses,estou um pouco perdida,pois faço infusão de remicad,e ainda não senti melhoras.estou na quarta infusão.tenho 29 anos e ainda não sei como conviver com a doença,me sinto incapacitada para muitas coisas,e tem também a questão dos familiares não compreenderem oque realmente passo.sempre acham que é somente uma dorzinha qualquer na coluna.me sinto perdida.por favor me ajudem a passar por essa faze que não esta sendo boa pra mim.estou desde fevereiro de 2012 afastada do trabalho pois não aguento fazer esforço fisico.entre em contato comigo por favor.

  7. Boa noite Samuel,e um Feliz Ano Novo.Sou portadora de EA estou fazendo uso do embrel a dois anos hoje estou em crise muita dor,talvez pelo fator emocional mesmo que as crises apareçam.
    Sou Pedagoga e fui aposentada por invalidez procuro fazer diferentes atividades para ocupar meu tempo sempre fui muita dinâmica,adoro pintar em tecido em tela e fazer trico faço trabalhos para doação pois isso me deixa muito feliz.Um abraço estou seguindo seu blog pois fiquei encantada com o mesmo,parabéns.

  8. Olá samuel,me encontro na mesna situacao que vc, estou tomando enbrel,mas depois de um ano ele perdeu a eficacia,estou novamente com dor e o vhs e pcr estão com taxas normais,por isso minha medica disse que o estado não vai mudar para o humira,não sei o que fazer,se desesperar não adianta.E vc como se encontra?grande abraço e feliz ano novo na medida do possivel…

  9. Tenho plena consciência que tenho que me exercitar, só que cada vez que tento um movimento sinto dores terríveis. Quinta-feira fui fazer minha primeira sessão de hidroterapia, e depois tive que ir direto para o hospital, não aguentava de dores. Não sei mais o que fazer.

Sejam bem vindos!