Dia de conscientização sobre a Espondilite Anquilosante

0
412
alt=
Dia de conscientização sobre a Espondilite Anquilosante – A espondilite anquilosante atinge principalmente as articulações da coluna vertebral. Ao contrário de outras doenças reumáticas, são os jovens adultos, sobretudo homens, que mais sofrem da doença. Em geral, manifesta-se antes dos 45 anos, surgindo de modo gradual sob a forma de dor e rigidez lombares (região inferior das costas) que se agudizam com o repouso e se atenuam com atividade física, podendo em alguns casos atingir outras articulações, em particular as articulações do quadril e os ombros.

Dia de conscientização sobre a Espondilite Anquilosante

Diagnóstico

O diagnóstico precoce é fundamental para alterar o prognóstico e evolução da doença, tornando-o necessariamente mais favorável. Contudo, este diagnóstico é feito, muitas vezes, tardiamente após os primeiros sintomas o que se traduz numa evolução negativa da doença podendo levar ao desenvolvimento de uma anquilose, uma fusão das vertebras, conduzindo a uma incapacidade severa do doente.

Quais são os riscos de filhos de pacientes com espondilite anquilosante também apresentarem a doença?

Os riscos de os filhos de pacientes com espondilite anquilosante apresentarem a doença são muito reduzidos, não mais de 15%, comparados às chances de 85% de gerar crianças saudáveis normais. Mesmo entre os 15% que sofram da doença, provavelmente apenas um apresentará uma condição severa o suficiente para interferir em sua vida normal. Pais com Espondilite Anquilosante às vezes perguntam se seus filhos devem fazer exames para verificar se possuem o HLA-B27. No momento, a resposta é que isso não deve ser feito, pois não há como saber qual criança com esse grupo sanguíneo apresentará a doença. Se algum dia for possível prevenir a doença, então será importante descobrir quais crianças posuem o grupo HLA-B27, para que possam ser protegidas.

Saiba tudo sobre essa condição 

Quais são os sintomas da espondilite anquilosante?

Dores na coluna que surgem de modo lento ou insidioso durante algumas semanas, associadas à rigidez matinal da coluna, que diminui de intensidade durante o dia. A dor persiste por mais de três meses, melhora com exercício e piora com repouso. No início, a espondilite anquilosante costuma causar dor nas nádegas, possivelmente se espalhando pela parte de trás das coxas e pela parte inferior da coluna. Um lado é geralmente mais doloroso do que o outro. Essa dor tem origem nas articulações sacroilíacas (entre o sacro e a pélvis). Alguns pacientes sentem-se globalmente doentes sentem-se cansados, perdem apetite e peso e podem ter anemia. A inflamação das articulações entre as costelas e a coluna vertebral pode causar dor no peito, que piora com a respiração profunda, sentida ao redor das costelas, podendo ocorrer diminuição da expansibilidade do tórax durante a respiração profunda. Os indivíduos que apresentam limitação significativa da expansibilidade do tórax não devem de forma alguma fumar, pois seus pulmões, que já não expandem normalmente, estariam ainda mais susceptíveis a infecções.

Sejam bem vindos!