Dez dicas para pacientes com espondiloartrite

Dez dicas para pacientes com espondiloartriteExiste muitos fatores que podem piorar a evolução de sua condição reumática, é preciso ficar atentos para afastar de possíveis danos e piorar de seu estado

Dez dicas para pacientes com espondiloartrite

Espondiloartropatias ou espondiloartrite constituem uma família heterogénea de doenças reumáticas que compartilham características clínicas, resposta radiológica genética patogénico epidemiológico e terapêutico, que permite a diferenciação de outras doenças inflamatórias do sistema locomotor.

Dentro deste grupo de patologias estão espondiloartrite axial, artrite psoriática é a espondilite anquilosante, bem como artrite relacionada à doença inflamatória intestinal e artrite reativa a infecções.

alt="Dez dicas para pacientes com espondiloartrite"
Dez dicas para pacientes com espondiloartrite

Vejam aqui: As Dez dicas para pacientes com espondiloartrite

1. NÃO FUMARVários estudos demonstraram que o tabaco está associado à doença ser mais ativa, há maior dano estrutural ao nível da coluna e pior saúde, resposta e adesão às terapias. Embora no início seja difícil, o abandono do hábito do tabaco contribuirá para a melhora da doença.

2. EXERCÍCIO. Isso deve se adaptar aos gostos e condições de cada paciente. Os benefícios da atividade física regular que foram observados em estudos científicos realizados especificamente em pessoas com espondiloartrite são os seguintes:

Diminuição da inflamação (atividade inflamatória).

Melhoria da função física. Aumente a capacidade de executar tarefas que exijam esforço físico.

Os exercícios melhoram a capacidade de expansão da caixa torácica e a quantidade de ar que pode ser introduzida nos pulmões.

Melhoria da mobilidade e flexibilidade vertebral. Diminuição da sensação de rigidez

Melhoria do humor, ansiedade e aumento da sensação de bem-estar.

Diminuição da dor

Melhoria da forma física.

Melhoria da qualidade de vida.

Fadiga diminuída

Melhoria do sono e descanso noturno.

3. CUIDAR DA ALIMENTAÇÃO. As recomendações são as mesmas que para a população em geral: evitar a obesidade e fazer uma dieta mediterrânea equilibrada, controlando dietas com excesso de calorias e evitando alimentos ricos em colesterol. Além disso, é aconselhável evitar o consumo de álcool, uma vez que essas bebidas limitam o uso de medicamentos que podem afetar o fígado. Por outro lado, recentemente há dados de que a obesidade está relacionada a uma pior resposta às terapias.

4. FALE COM O REUMATOLOGISTA. Cada paciente é diferente e seus hábitos de vida também são diferentes, por isso é importante conversar com seu reumatologista, expor suas dúvidas e tomar decisões conjuntas, para que os profissionais possam dar a cada paciente um cuidado e um tratamento específicos.

5. CONHEÇA SUA CONDIÇÃO paciente deve ser informado sobre sua doença e tratamento para tomar decisões consensuais com seu médico. Para isso, é importante fazer suas perguntas ao reumatologista e, se você buscar informações por conta própria, por exemplo, na Internet, nas páginas cujo conteúdo é preparado por profissionais ou organização de pacientes.

6. NÃO INTERROMPA SEU TRATAMENTO. Quando a pessoa consegue controlar a doença pode melhorar seus sintomas e sua qualidade de vida, para isso é importante ir a consultas com o reumatologista e realizar os exames e exames médicos que indicarem. Além de não abandonar ou alterar o medicamento prescrito pelo médico sem que este o diga. Manter a doença sob controle é essencial para que não leve a doenças associadas, como problemas cardiovasculares ou diabetes, que possam agravar a qualidade de vida do paciente.

7. MANTENHA A HIGIENE APROPRIADA DA BOCA . É conveniente ir a exames dentários e manter a higiene bucal adequada, uma vez que foi observado que as pessoas que têm inflamações das gengivas e dos dentes (periodontite) têm maior probabilidade de sofrer de outras doenças inflamatórias.

8. CUIDAR DAS RELAÇÕES SOCIAIS . Ter uma mente ocupada, uma atitude positiva e fazer planos irá melhorar o seu humor. Seus amigos e familiares podem ajudá-lo com apoio emocional, compreendendo e aceitando suas limitações e fornecendo ajuda física, por isso é importante que eu converse com eles sobre sua doença. Além disso, pode ser útil pertencer a uma associação de pacientes, onde você encontrará pessoas que convivem com a mesma doença e podem lhe dar apoio com algumas perguntas ou necessidades que possam surgir.

9. EVITE O ESFORÇOÉ importante descansar adequadamente e dormir o suficiente, já que o descanso noturno é essencial para estar bem fisicamente e mentalmente.

10. DOR ABDOMINAL. A espondiloartrite está associada a outras condições inflamatórias, como a doença inflamatória intestinal (doença de Crohn e colite ulcerativa). Portanto, em caso de sintomas como dor abdominal frequente, diarreia ou perda de peso injustificada, deve consultar o reumatologista porque pode ter que consultar um especialista no Sistema Digestivo.

Curta nossa FanPage no Facebook

Comentários

Comentários

Sejam bem vindos!