Sorrir Faz Bem

alt=
Sorrir te faz bem

Sorrir Faz Bem – Sorrir Faz Bem. Está mais do que provado que a risada é um elemento importante de combate ao estresse, ligado diretamente ao nosso sistema nervoso central.

POR SUCENA SHKRADA RESK

Sorrir Faz Bem

Sorrir Faz Bem. Está mais do que provado que a risada é um elemento importante de combate ao estresse, ligado diretamente ao nosso sistema nervoso central. É considerada uma válvula de escape às pressões do dia-a-dia e, inclusive, com função positiva no auxílio à recuperação de pacientes internados em hospitais. O bom humor, segundo especialistas, reduz a pressão sanguínea e o nível de hormônios, que afetam nosso sistema imunológico.
Neurocientistas da Universidade Maryland, nos EUA, divulgaram, no ano passado, pesquisa que atesta que a risada é um instinto de sobrevivência para alguns animais e seres humanos, que convivem em sociedade.

Sorrir Faz Bem

No campo da reabilitação, há um enorme incentivo à terapia do riso, que tem sido amplamente adotada nas últimas duas décadas. Segundo pesquisadores, como a psicobióloga Silvia Helena Cardoso, o riso é uma ferramenta de comunicação importante inata ao ser humano. Entre as suas diversas funções, está a de auxiliar a produção de células que previnem infecções e de aumentar a produção de endorfinas, que diminui a dor.

DEIXE O BOM HUMOR ENTRAR NA SUA VIDA

• Exercite o lúdico, por meio das brincadeiras, das práticas esportivas, do hábito de cantar
• Não tenha medo de rir das próprias gafes
• Não tenha vergonha de rir sozinho ou acompanhado
• Assista comédias, de vez em quando, para liberar o bom humor
• Mantenha contato com crianças e pessoas alegres, pois essa energia é contagiante
• Se possível, tenha um animal de estimação, que proporciona o bem-estar e momentos prazerosos
FONTE: PSICÓLOGO ESDRAS GUERREIRO VASCONCELLOS E NEUROLINGÜISTA IVONE ENGELMANN
O psicólogo Esdras Guerreiro Vasconcellos, professor de pós-graduação em Psicologia Clínica da Universidade de São Paulo (USP) e em Psicologia Social e do Trabalho da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), explica que podemos dividir o riso em dois tipos.

Risada afetiva

O primeiro tipo de riso é relacionado à afetividade. “Nesse caso, é uma expressão genuína de alegria desencadeada por nosso sistema nervoso, originada pelo centro imagético, que fica no chamado sistema límbico, localizado embaixo do córtex cerebral”, explica Vasconcellos.
Curta nossa página no Facebook

Comentários

Comentários

1 COMENTÁRIO

Sejam bem vindos!