Pesquisas mostram que o jejum regenera o sistema imunológico

alt=

Pesquisas mostram que o jejum regenera o sistema imunológicoSegundo Dr. Juliano Pimentel o jejum intermitente é atualmente uma das tendências de saúde e fitness mais populares do mundo. 

As pessoas se utilizam desta técnica para perder peso, melhorar a saúde e simplificar o seu estilo de vida saudável.

Muitos estudos indicam que o jejum pode ter efeitos poderosos sobre seu corpo e cérebro, e pode até mesmo ajudá-lo a viver mais.

O que é Jejum Intermitente? 

Jejum intermitente é um método de emagrecimento que visa intercalar períodos de jejum com períodos de alimentação. O objetivo é fazer com que o corpo utilize os estoques de gordura e com isso haja uma perda de massa gorda.

Pesquisas mostram que o jejum regenera o sistema imunológico

alt="O que são doenças autoimunes"
Pesquisas mostram que o jejum regenera o sistema imunológico

O jejum prolongado 

O jejum prolongado – é não comer durante ou entre dois a quatro dias subsequentes de cada vez – e isso demonstrou regenerar o sistema imunológico e protegê-lo de danos adicionais. É especialmente eficaz entre os pacientes que já comprometeram o sistema imunológico, de acordo com pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia, em Los Angeles.

Especificamente, os pesquisadores mostraram que o jejum prolongado desencadeou a regeneração baseada em células-tronco de células brancas do sangue reduzindo os níveis de uma enzima conhecida como proteína quinase A ou PKA. Pesquisas anteriores mostraram que a redução de PKA é bastante potente na promoção da regeneração e pluripotência de células-tronco, além de prolongar a longevidade. Também mostrou diminuir os níveis de fator de crescimento semelhante à insulina-1 (IGF-1), um hormônio que tem sido associado à progressão do tumor, ao envelhecimento e ao câncer.

“A PKA é o gene chave que precisa desligar para que essas células-tronco passem para o modo regenerativo. Ele dá um OK para células-tronco continuar e começar proliferar e reconstruir todo o sistema”, disse Valter Longo, diretor do USC Longevity Institute e Edna M. Jones Professor de Gerontologia e Ciências Biológicas na USC Davis School of Gerontology.

O jejum prolongado pode ajudar a corrigir distúrbios autoimunes

Longo observou os resultados do jejum em ambos os ratos e humanos, e descobriu que houve uma diminuição na contagem de glóbulos brancos durante o período de jejum. Seus corpos tinham reutilizado velhos glóbulos brancos e desencadeou a produção de novas células para substituí-los.

“Não foi possível prever que o jejum prolongado teria um efeito tão notável na promoção da regeneração baseada em células-tronco do sistema hematopoiético”, disse Longo. “A boa notícia é que o corpo se livrou das partes do sistema que podem estar danificadas ou antigas, as partes ineficientes, durante o jejum. Agora, se você está com um sistema fortemente danificado por quimioterapia ou envelhecimento, os ciclos de jejum podem gerar, literalmente, um novo sistema imunológico”.

ATENÇÃO NÃO FAÇA NENHUMA DIETA SEM CONSENTIMENTO DO SEU MÉDICO, OU SEM ACOMPANHAMENTO DE UM NUTRICIONISTA!

Essa matéria é apenas informativa, cada dieta deve ser adequada individualmente…

Fontes utilizadas:

NaturalNewscom

News.USC.edu

ScienceDirect.com

[su_slider source=”category: 74″ link=”post” height=”600″]

Comentários

Comentários

Sejam bem vindos!