Novos Estudos – Espondiloartrites é mais comum do que se pensava segundo estudo

0
280
Gens e EA
Interação genomica e espondilite

Pesquisadores publicaram na edição de julho 2016 de Artrite e Reumatologia estudo que mostra que as espondiloartrites axial (SpA) é mais comum entre os pacientes em tratamento com dor lombar crônica do que se pensava.

Dos 697 pacientes inscritos neste estudo em tratamento não medicamentoso em atendimento de reumatologia nos EUA, 319 (46%) foram diagnosticados como tendo SpA axial e 348 de 744 (47%) preencheram os critérios ASAS – dos quais 238 foram classificados como tendo SpA axial não radiográfica e 108 como tendo espondilite anquilosante (EA).

EA é preciso conhecer
EA é preciso conhecer

O estudo, chamado de Estudo de Prevalência de SpA Axial (PROSpA), foi realizado para determinar a proporção de pacientes com SpA axial não radiográfica entre aqueles com dor crônica nas costas, durante pelo menos três meses. Os pacientes foram de 45 anos de idade para baixo e foram identificados com pelo menos um dos seguintes critérios diagnósticos:. Positividade HLA-B27, dor nas costas inflamatória atual, e de imagem (ressonância magnética [RNM] ou radiográfico) evidência de sacroileíte.

No geral, estes resultados reforçam a necessidade de melhorar a identificação e diagnóstico de ambos e como SpA axial não radiográfica entre os pacientes que já recebem cuidados em práticas de reumatologia e aqueles recém-encaminhados para reumatologistas.

O aumento da consciência sobre a doença e o uso de critérios de referência adequados podem reduzir o atraso para diagnóstico e proporcionar um melhor entendimento da prevalência de SpA axial.

Ambos espondilite anquilosante (EA) e espondiloartrite axial não radiográfica (SpA) normalmente não são diagnosticados por anos. Embora a EA e SpA axial não radiográfica têm manifestações clínicas comparáveis, como é mais facilmente identificados pela presença de sacroileíte em radiografias.

Sejam bem vindos!