Gerenciando Espondilite no trabalho

alt=

Gerenciando Espondilite no trabalho – Permanecer no trabalho provavelmente será um dos objetivos mais importantes para você e sua família. Este guia foi projetado para ajudá-lo a encontrar uma maneira de gerenciar sua condição e seu trabalho.

Gerenciando Espondilite no trabalho: por que é importante continuar trabalhando?

É melhor financeiramente se você pode permanecer no trabalho, mas há outros benefícios importantes em continuar trabalhando. Pesquisas mostrou que as pessoas que são capazes de trabalhar são mais propensas a ter melhor auto-estima – levando a menos depressão, menos dor e menos isolamento.

O apoio de seu empregador para permanecer no trabalho também oferece benefícios importantes para eles, como a retenção de pessoal valioso, o aumento da produtividade e a criação de um local de trabalho diversificado.

Este guia foi projetado para ajudá-lo a encontrar uma maneira de gerenciar sua condição e seu trabalho.

Gerenciando Espondilite no trabalho: Como a Espondilite pode afetar você e seu trabalho 

Os efeitos da espondilite é diferente em cada pessoa; algumas pessoas são mais severamente afetadas do que outras. Você pode achar mais difícil lidar com o trabalho em alguns momentos do que em outros, devido aos seus sintomas em mudança ou à mudança das demandas do seu trabalho.

Os sintomas mais comuns que afetam se você pode continuar a fazer o seu trabalho normalmente são:

• Dor e rigidez nas manhãs dificulta muito, a primeira coisa a ser afetada é chegar a trabalho no tempo
• Sentado em um lugar ou posição pode levar a dor e rigidez
• Problemas com o deslocamento devido a dor e inflamação
• Não tem a mesma quantidade de energia ou resistência e cansa-se facilmente ou tem muita fadiga

É importante usar bem seu tempo quando tomar decisões sobre o trabalho. Pode ser difícil se você não tiver um diagnóstico definitivo, se você não encontrou um tratamento efetivo ou se Você está tendo um momento particularmente ruim.

Mantenha suas opções de trabalho abertas enquanto luta para gerenciar a EA.

Gerenciando Espondilite no trabalho: Seus direitos no trabalho 

Você só é considerado incapacitado se tiver uma perda funcional que o impeça de exercer qualquer atividade remunerada, é não pelo diagnóstico da Espondilite Anquilosante. Se você tiver uma relação física ou deficiência mental que tenha um efeito negativo “substancial” e “longo prazo” na sua capacidade para fazer atividades diárias.

É contra a lei que os empregadores discriminem você por causa de uma deficiência.

Gerenciando Espondilite no trabalho: Recrutamento

Ao recrutar pessoal, um empregador pode fazer perguntas limitadas sobre sua saúde ou incapacidade. Você só pode ser perguntado sobre sua saúde ou deficiência:

• para ajudar a decidir se você pode realizar uma tarefa que é uma parte essencial do trabalho
• para ajudar a descobrir se você pode participar de uma entrevista ou se os entrevistadores precisam fazer ajustes razoáveis ​​para você em um processo de seleção
• se quiserem aumentar o número de pessoas com deficiência que empregam

Gerenciando Espondilite no trabalho: Iniciando um novo emprego

O seu empregador poderá fazer perguntas relacionadas à saúde depois de ter sido contratado. Você tem o dever de dizer ao empregador sobre sua condição de saúde se apresentar um risco de saúde e segurança para você ou para outros colegas de trabalho.

Gerenciando Espondilite no trabalho: Ajustes razoáveis ​​no local de trabalho

O empregador deve fazer “ajustes razoáveis” para evitar que você seja colocado em desvantagem em comparação com pessoas não-deficientes no local de trabalho.

Alguns ajustes razoáveis ​​que você pode querer pensar e discutir com o seu empregador pode incluir:

• Fornecer equipamentos especiais para ajudá-lo a trabalhar melhor, como uma cadeira ou mesa adaptada
• Permitir que você tire pausas curtas e regulares para alongar
• Reorganizando suas horas de trabalho para evitar a hora do rush. Pode até ser possível trabalhar em casa de vez em quando, ou a tempo parcial
• Readaptando tarefas que você achar difíceis de executar por causa da EA
• Fornecer oportunidades para te realocar para um papel diferente

É do interesse do seu empregador considerar essas mudanças, pois estas devem minimizar perdas na produção.

Gerenciando Espondilite no trabalho: Resolvendo o conflito

Se o seu empregador não for razoável e a situação não pode ser resolvida informalmente, você pode levantar o assunto como uma queixa formal.

Gerenciando Espondilite no trabalho: O que falar para seus colegas de trabalho?

Procure o momento certo para falar sobre a espondilite com seus colegas de trabalho depende da severidade EA e seus sentimentos pessoais.

Algumas pessoas preferem antecipar logo que eles são diagnosticados, enquanto outros continuam trabalhando por muitos anos antes de contar aos seus colegas.

Tudo o que você decidir, tenha em mente que é difícil para as pessoas entenderem o seu problemas se você não discuti-los.

Use o Guia do Empregador para educar seus colegas.

Todos os empregadores são legalmente obrigados a proteger a saúde e segurança de seus funcionários. este inclui o fornecimento de equipamentos de trabalho seguros e adequados.

Gerenciando Espondilite no trabalho: Avaliação da estação de trabalho

Se você trabalha em escritório, você pode pedir uma “avaliação da estação de trabalho”. Você será informado sobre como minimizar o desconforto na sua estação de trabalho e, se necessário, fornecido com especial de equipamento.

Gerenciando Espondilite no trabalho: Sua postura

Manter uma boa postura é essencial para manter suas costas e coluna vertebral saudáveis ​​e, por sua vez, seus músculos e articulações. Isto é especialmente importante para pessoas que passam muitas horas sentado em uma cadeira de escritório.

Gerenciando Espondilite no trabalho: Para garantir que você tenha uma boa postura:

• Mantenha as costas alinhadas contra a parte de trás da cadeira e os ombros em linha reta – evite impactos
• A base da cadeira é extremamente importante. Deve ser firme e ajustável para a altura correta do chão
• Faça pausas regulares da tela
• Seus joelhos devem ser uniformes com seus quadris ou ligeiramente mais altos enquanto estiverem sentados, e seus pés devem ficar planos no chão
• Certifique-se de que seus antebraços estão horizontais quando você está sentado em sua mesa
• Mantenha seus pulsos retos ao digitar e tente não sobrecarregar seus dedos
• Seus olhos devem ser a mesma altura que a parte superior da tela do seu computador

Gerenciando Espondilite no trabalho: Mantendo-se ativo

Em vez de ficar sentado em uma posição por um longo período de tempo, tente encontrar uma combinação de tarefas que permitam mudar a posição.

Tire algum tempo para fazer algum alongamento. 

Alternativamente, pergunte ao seu fisioterapeuta ou educador físico alguns exercícios adequados.

Certifique-se de ter pausas adequadas ao longo do dia. Saia na hora do almoço para tomar ar fresco ou mesmo uma curta caminhada ao invés de almoçar nesse ambiente.

Tome tempo para alguma atividade após o trabalho. Com alguns amigos, vá nadar, participe de uma aula de yoga ou de Pilates ou mesmo indo

Gerenciando Espondilite no trabalho: Priorize suas tarefas

A fadiga é comum entre as pessoas com EA e é importante reconhecê-la como parte de sua condição.

Fatiga na EA não é apenas um cansaço normal, como você fica no final de um dia difícil de trabalho. É uma sensação esmagadora de cansaço que ocorre frequentemente após muita atividade.

Ela também pode estar presente desde o início do dia. Priorizar as necessidades de trabalho pode significar que você economiza energia para as coisas que você realmente precisa fazer, isto pode ajudá-lo a planejar suas tarefas e seu tempo para descansar e se recuperar.

Pode ser útil fazer uma lista de todas as tarefas que você faz em um dia ou semana típica. Elas podem ser feitas de uma forma mais eficiente em termos de energia, ou em diferentes momentos do dia, para fazer eles são mais fáceis? Você pode ter ajuda com qualquer uma dessas tarefas?

Quaisquer que sejam suas prioridades, tente ser realista sobre o quanto você pode fazer – não tente assumir mais do que consegue.

Gerenciando Espondilite no trabalho: Técnicas de estimulação

Quando você está convivendo diariamente com dor, você pode se tornar cada vez menos ativo, quando você começa desencadear sua dor.

Paciência, aprenda a espaçar suas atividades ao longo do dia e semana para evitar crises.

A lógica por trás do ritmo é que, se você gerencia sua energia com sabedoria, e aumentará gradualmente.

Em última análise, o ritmo tem como objetivo ajudá-lo a aumentar seu nível geral de atividade.

Se você pudesse se beneficiar, aprender técnicas de estimulação, fale com seu médico clínico ou reumatologista, que é quem poderá encaminhá-lo a um terapeuta ocupacional ou fisioterapeuta.

Caso você ou seu médico ache que é o momento de parar, procure o auxílio doença 

Fonte: NASS

Leiam mais… 

Comentários

Comentários

Sejam bem vindos!