terça-feira, Abril 24, 2018
Ajude-nos a manter nosso blog no ar, qualquer valor será bem vindo! Muito obrigado!
Início Espondilite Anquilosante Efeitos da uveíte anterior nas Espondiloartrites

Efeitos da uveíte anterior nas Espondiloartrites

alt=

Os efeitos da uveíte anterior nas EspondiloartritesSe não diagnosticada previamente: resultados da uveíte pode ser muito grave inclusive perda da visão. 

Efeitos da uveíte anterior nas Espondiloartrites

Uveíte refere-se à inflamação da camada vascular média do olho. É definida por sua localização anatômica com uveíte anterior (UA) ocorrendo na câmara anterior do olho. Também chamada de Iridociclites, acometem principalmente a íris e o corpo ciliar. Os sintomas incluem inchaço do olho afetado, visão turva, dor e sensibilidade a luz. Considerando que doenças como a retinopatia diabética e a degeneração macular relacionada à idade são mais prevalentes com idade avançada, a uveíte, por sua vez, ocorre em pacientes mais jovens, economicamente ativos.

A UA é uma condição inflamatória ocular intimamente relacionada às Espondiloartrites (Espondilite, artrite psoriásica, crhon…) (SpA). Este estudo analisa a UA associado à SpA não diagnosticada, se valendo de ferramentas previamente estabelecidas, que avaliam a qualidade de vida, com o intuito de informar aos clínicos sobre o efeito dessas doenças.

O algoritmo da ferramenta de avaliação de uveíte de Dublin (DUET) foi desenvolvido e validado em uma coorte de pacientes com UA que foram todos rastreados por um reumatologista para a presença de SpA. Esta mesma coorte completou os questionários de visão geral (VCM1) e de saúde geral (SF-36) quando a UA estava ativa e resolvida. O resultado demonstrou que os escores VCM1 melhoraram com a resolução da UA. Já os escores SF-36 físicos foram reduzidos durante os episódios da UA e melhoraram com a sua resolução.

O estudo chegou a conclusão que a UA afeta aspectos físicos da qualidade de vida mais do que é apreciada por variáveis clínicas, principalmente naqueles com SpA pré-existente e ainda não diagnosticados. Este estudo é único na análise do efeito da SpA nos pacientes antes do diagnóstico. Os resultados destacam o papel do oftalmologista na identificação de pacientes que apresentam UA com o algoritmo de DUET.

Autor: Dr. Carlos Capistrano

SRRJ

Fonte:  The Journal of Rheumatology 2017; 44:9; doi:10.3899/jrheum.170115

Veja também…

Comentários

Comentários

1 COMENTÁRIO

  1. Eu me trato fazendo uso da Humira 40 desde março de 2017. Tenho uveite. Não tive mais crises.

Sejam bem vindos!

%d blogueiros gostam disto: