Como usar pilates no tratamento da Espondilite

0
535

método Pilates atualmente abrange tanto a promoção da saúde física do praticante na busca por definição muscular e ganho de flexibilidade, como também na recuperação e tratamento de algumas doenças, sejam elas de qualquer origem, que tenham também como consequência uma degeneração física de força e/ou de mobilidade.

Como fisioterapeutas temos em nossa essência de formação, buscar a integridade de todos os sistemas corporais.

E quando se trata da aplicação do Pilates como forma recuperativa me sinto muito feliz em poder associar a técnica para recuperar o bem-estar do meu paciente, como é o caso do uso do método no tratamento da espondilite anquilosante.

Usando Pilates como auxílio no tratamento

Quando utilizamos a técnica Pilates como método de tratamento para a EA, podemos contar com uma gama enorme de exercícios que podem ser utilizados para a melhora do quadro geral dessas pessoas.

Exercícios de ganho de flexibilidade, indicados para as cadeias musculares encurtadas, e que por consequência apresentam articulações “travadas” ou bloqueadas (devido à diminuição da amplitude de movimento articular) podem ser o ponto de partida para o início do tratamento.

Por exemplo, observamos que esses pacientes em específico apresentam as cinturas escapular e pélvica muito limitadas, portanto exercícios de liberação da musculatura diretamente envolvida com esses cinturas são super indicadas.

Focar no fortalecimento de grupos musculares extensores (músculos da parte de trás do corpo – lombar, interescapulares, ombros e glúteos), priorizando um treino de resistência muscular, ou seja, baixos pesos e maior número de repetições é uma das opções de tratamento a nos nortear.

Os exercícios de expansão torácica podem aumentar a capacidade funcional do doente com espondilite anquilosante.

A liberação esterno-costal e torácica deste paciente, antes da sessão de Pilates melhora a expansão torácica, postura e mobilidade da coluna vertebral, o que fará com que o paciente consiga um maior desempenho nos exercícios, fica a dica!

Já os exercícios com a bola suíça, no solo, difere de outras propostas porque recruta os músculos responsáveis pela estabilização da coluna vertebral durante o movimento.

Acredita‐se que os exercícios resistidos com o auxílio de superfícies instáveis, como uma bola suíça, melhorem a capacidade funcional dos pacientes, pois esse treino afeta outros aspectos da aptidão física, como o equilíbrio e a propriocepção.

A termoterapia como tratamento complementar e domiciliar tem demonstrado um efeito positivo significativo no alívio da dor, rigidez, melhoria do bem-estar e funcionalidade de pacientes com espondilite anquilosante. Estes efeitos são significativos tanto a curto prazo, como a longo prazo.

Fonte: Blog do Pilates

Sejam bem vindos!